Snoopy, Steve Jobs e Stallone em cartaz nos cinemas

Por Janaina Pereira

Nesta quinta (14) chega aos cinemas brasileiros uma boa safra de filmes. Você, que já viu Star Wars: O Despertar da Força, pode dedicar seus próximos finais de semana para conferir os indicados ao Oscar Carol, Creed: Nascido para Lutar e Steve Jobs, além da animação Snoopy e Charlie Brown: Peanuts, o Filme. Temos ainda um filme nacional, Boi Neon, um dos mais premiados do ano passado.

snoopyVamos começar pelo desenho: Snoopy e Charlie Brown: Peanuts, o Filme não conseguiu sua vaga no Oscar, mas vai garantir um lugar no coração dos fãs dos personagens. A animação, divertida e com todo o espírito do quadrinho original, traz Charlie Brown tentando provar ao mundo que não é um fracasso e Snoopy, seu fiel escudeiro, em seus devaneios de piloto mas também dando aquela forcinha para o ‘Minduim’ (sim, a versão dublada é ótima. Que puxa!).

Steve Jobs tem Michael Fassbender (o Magneto de X-Men) e Kate Winslet (a eterna Rose de Titanic) em ótimas atuações no filme dirigido pelo oscarizado Danny Boyle (Quem Quer ser um MIlionário?). Foram só duas indicações ao Oscar – para os atores citados – , o que configura em uma tremenda injustiça já que o filme é excelente (e o roteiro de Aaron Sorkin – premiado por A Rede Social – é um dos melhores dos últimos tempos). Ao contrário do que muita gente imagina, não se trata de uma cinebiografia do mago da tecnologia, mas apenas uma trama focada em um período importante da vida de Jobs, que mostra que ele era tão genial quanto, digamos, difícil (para dizer o mínimo).

Com a surpreendente indicação de Sylvester Stallone aos prêmios de melhor ator coadjuvante – incluindo o Oscar, em que ele é favorito – Creed: Nascido para Lutar chega aos cinemas embalado pela boa crítica. E o filme é bom mesmo. O novo capítulo da saga de Rocky Balboa traz o lendário personagem como co-astro do jovem Adonis Johnson (o talentoso Michael B. Jordan), filho que Apolo (o ex-rival que se tornou amigo de Balboa nos primeiros filmes da franquia) teve fora do casamento. Adonis procura Rocky para ensiná-lo a ser um bom lutador, e o resto da história a gente já sabe: sangue, suor, lágrimas, lutas de boxe e muita emoção. Tudo perfeitamente dosado pelo roteiro de Aaron Covington, baseado nos personagens da série de filmes Rocky escritos por Sylvester Stallone. A direção fica por conta de Ryan Coogler, que repete a boa parceria feita com Jordan em Fruitvale Station: A Última Parada.

E entre tantos personagens masculinos, duas mulheres se destacam: a diva loira Cate Blanchett mostra porque é uma das melhores atrizes do mundo em Carol de Todd Haynes (Longe do Paraíso), tendo como colega de cena Rooney Mara (a Lisbeth de David Fincher). a história de amor entre duas mulheres nos anos 1950 é, por si só, um tema delicado. Mas Haynes dá um show de direção, com cenas delicadas e sensíveis, dando a este drama de época uma roupagem muito bacana – e aí ponto também para a parte técnica, onde figurino, direção de arte e fotografia se destacam. Mara faturou o prêmio de melhor atriz no Festival de Cannes, onde o filme estreou ano passado, mas é Blanchett quem realmente se destaca. Por este papel, a atriz australiana conquistou sua sétima indicação ao Oscar (e só não é favorita porque venceu recentemente, mas precisamente em 2013 por Blue Jasmine, de Woody Allen). No total, o filme teve seis indicações ao Oscar, ficando de fora, no entanto, nas categorias melhor filme e diretor.

Nesta longa lista de filmes – época de Oscar é sempre lotada de boas opções cinematográficas – temos ainda o nacional Boi Neon, do Gabriel Mascaro, premiado na mostra Horizontes do Festival de Veneza do ano passado. Desde então, o longa acumula prêmios mundo afora, e sobre ele eu conversei com o protagonista, o ator Juliano Cazarré para o site da revista GQ Brasil.

E para os fãs de Quentin Tarantino, seu novo filme Os Oito Odiados (indicado ao Oscar de melhor atriz coadjuvante para Jennifer Jason Leight) está em cartaz desde a semana passada por aqui, assim como o maravilhoso Spotlight: Segredos Revelados, que conta a história real de um grupo de jornalistas que descobre que padres de Boston, nos EUA, praticavam pedofilia. Esse, aliás, é o meu favorito do Oscar (teve seis indicações), e sobre ele eu falo no vídeo abaixo, quando vi o filme no Festival de Veneza.

Agora é só escolher o filme e boa diversão!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s